Alice Sacredy, Amanda Silva e Carlos Amorim (Foto: Carlos Thiago/FM93)
Alice Sacredy, Amanda Silva e Carlos Amorim (Foto: Carlos Thiago/FM93)

A banda alagoana Rainhas da Farra voltou a Fortaleza para um show no Galpão 4 (G4), no último sábado (16). O público lotou a casa e cantou, em coro, os hits da banda, como “Ingratidão” e “Solidão“, na festa “Quem ama vai“. Em entrevista ao portal da FM93, os vocalistas da banda falaram sobre os projetos para 2016 e a história da música “Amiga falsa”.

Com apenas um ano de carreira, o grupo vem fazendo cada vez mais sucesso no Nordeste e lotando casas de shows. Carlos Amorim, o “Carlinhos”, único homem do trio de cantores, contou que é sempre é bom fazer apresentações na capital cearense. De acordo com o vocalista, os fãs podem esperar, que em breve, a banda estará lançando um novo clipe, com música nova.

Amanda Silva, uma das vocalistas, surpreende pela idade que tem. Com apenas 18 anos recém completos, ela conta que começou a cantar muito nova e o pai sempre a acompanhava e cuidava de sua carreira. Para ela, fazer show em Fortaleza é diferente. “As pessoas aqui tem um calor maior, não sei explicar”, conta.

Amanda é a "caçula" da banda, com apenas 18 anos (Foto: Carlos Thiago/FM93)
Amanda é a “caçula” da banda, com apenas 18 anos (Foto: Carlos Thiago/FM93)

Quem também iniciou a carreira logo cedo, foi Alice Sacredy. A cantora, de 24 anos, recebeu grande influência do avô, que era músico. Mas Alice nem sempre cantou o “forró romântico”. “Cresci no meio musical, mas já cantei outros estilos, samba, outros tipos de forró… mas o forró romântico me pegou. Me achei aqui”, ressalta.

Segundo as vocalistas, a “sofrência” presente das letras das Rainhas da Farra é por uma questão de identificação. “Todo mundo passa por isso, sofre por amor, ama demais, é traído, já traiu…”, explicou Amanda.

Por falar em traição, a música “Amiga falsa” é um dos sucessos do repertório da banda. A dupla conta que um amigo escreveu a canção e mostrou para saber a opinião das cantoras, que resolveram gravar. “No começo foi uma confusão, a gente não sabia quem ia ser a amiga falsa. Nenhuma das duas queria ser, porque a nossa relação é outra, né não, ‘nêga’?!”, indaga Alice para Amanda. “Foi, a gente não sabia o que fazer. Aí resolvemos cantar e fomos vendo quem gostava mais da parte que cantava. Hoje, todo mundo canta”, explica a “caçula”.

 

Confira a entrevista antes do show: